Ninguém nasce ensinado - Parte 2

No seguimento do último tópico, e mantendo-nos fiéis ao propósito de informar as pessoas, segue mais um texto que mostra que nem sempre o que parece, é.

Como dissemos anteriormente, o fenómeno "Bikefit" tem vindo a crescer em Portugal, mas a falta de informação ainda é bastante grande, pelo que por vezes as pessoas são levadas a acreditar em algo que não corresponde totalmente à verdade.

Existem actualmente 5 grandes sistemas de Avaliação Biomecânica no mercado: Bikeffiting.com (Shimano), Retul, STT, Guru e Precision Fit.

Em Portugal, apenas existem os três primeiros (pelo menos que tenhamos conhecimento).

Apesar de haver diferenças entre todos estes sistemas, apesar de cada um ter características próprias, todos eles assentam no mesmo princípio: avaliar a biomecânica do ciclista quando anda na sua bicicleta.

Não vamos estar a defender o nosso sistema, nem a dizer que é melhor por isto ou por aquilo, pois apesar de termos bem presente o porquê de escolhermos o nosso sistema, o propósito deste texto é outro.

Não nos vamos alongar muito e vamos ser bastante directos, para que as pessoas saibam o que se passa na realidade e não sejam induzidos em erro por estratégias de marketing.

- TODOS estes sistemas são usados por equipas do World Tour!

- TODOS estes sistemas têm alguma ligação à equipa A ou B, ao abrigo de protocolos de parceria que são feitos entre equipas do World Tour e as empresas responsáveis por este tipo de ferramenta.

Assim, de certa forma cai por terra o argumento de anunciar que equipa X, Y e Z usam o sistema A, B ou C, levando as pessoas a pensar que aquele(s) é o melhor sistema que existe, sem informar também que para além desse(s) sistema(s) existem outros também eles usados por equipas do World Tour.

Contudo, e mesmo que só o sistema "X" fosse usado em equipas do World Tour, isso por si só não garantia nada! Estes sistemas são algo verdadeiramente fantástico, que veio revolucionar a indústria do Bikefit, mas no final de contas são apenas ferramentas.

Todos nós podemos comprar ferramentas, mas nem todos as conseguimos usar da mesma forma.

Apresentamos um exemplo de um ciclista de uma equipa do World Tour, que tem protocolos com a Bikefitting.com e que usa o seu sistema... isso faz com que automaticamente nós sejamos melhores Bikefitters? Infelizmente isso não funciona dessa forma.

Sem trabalho, dedicação e muito estudo, ter um grande sistema não serve de para grande coisa. Daí dizermos que durante a nossa vida estamos sempre a aprender

Boas pedaladas!